sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Recortes cotidianos 2

Meus olhos pesam, mas não os quero fechar.
Meu coração bate - palpita, fortemente, sem parar...
Cada segundo de mim é dedicado a você - meu desconhecido destino.
Será que eu saberei quando chegar a hora?
Será que eu entenderei minhas necessidades?
Eu nem ao menos sei sobre o que escrevo...
Não tenho amado ninguém, será saudades de sofrer?
Que tipo de sentimentos me levam a mim?
Nesta terra que habito - neste corpo pequenino - sinto frio.
Estou só...
Falar isto parece fazer minha solidão ecoar.
Não me pertenço e venho aprendendo certas coisas comigo mesmo.
Tenho me conhecido um pouco mais...
O que seria de mim se eu não fosse o que sou?

Guarde isso com você...

Nenhum comentário:

Postar um comentário