domingo, 1 de janeiro de 2012

Quase

“E eu quase acredito em você. Não precisa gostar de mim se não quiser. Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. Não me diga nada (ou me diga tudo). Não me olhe assim, você diz tanta coisa com um olhar. E olhar mente, eu sei! E eu sei por que aprendi. Eu não me contento com pouco (não mais). Eu tenho muito dentro de mim e não estou a fim de dar sem receber nada em troca.”


F.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário