segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Vazio

"Sentimentos traduzidos em olhares, olhares perdidos no vazio desse espaço preenchido.
É como olhar para tudo e não enxergar nada, sim, olhar é diferente de enxergar. Os sons se misturam em um volume máximo, mas só ouço o vazio do silêncio que me preenche, minha carcaça, demonstra sossego, calmaria, ela, camufla muito bem essa explosão de sentimentos definidos que se fundem nessa lava indefinida. Cada um na sua individualidade é muito bem conhecido, mas o resultado dessa união, é uma incógnita pra mim. O mais apavorante é que são o que sou: Sou vazio, sou tudo, sou miséria, contradição, sou sorriso, poucas lágrimas, sou agonia abafada, mascarada de alívio, sou dor, anestesia, sou ódio, alegria, raiva, euforia, sou carinho, afeto, não sou paixão, isso é sincero! Sou desespero, sou fuga, sou esquiva, sou luta, sou amor escondido, guardado, reprimido, quase adormecido, ferido! Sou ansiedade, inconstância, sou certeza e dúvida, sou verdades e omissões, não sou mentiras, isso não!
Isso tudo me preenche e me esvazia, é uma luta para voltar ao normal, todo santo dia! Acordei para a vida, as vezes parece que acordei para um pesadelo, as vezes parece que dormi para um sonho, eu continuo entorpecida, é como o final da anestesia de uma cirurgia, um período de analgesia, onde hora as coisas ficam mais leves, hora elas caem por terra.
Eu continuo caminhando, mas meus pés, ainda estão flutuando."


ENCONTREI PERDIDO PELOS MEUS ARQUIVOS...

Nenhum comentário:

Postar um comentário