terça-feira, 15 de novembro de 2011

Jogar

“Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas.”
Martha Medeiros

Eu não sei jogar, porque eu me jogo.
E jogando eu me estrepo toda, caio, ralo os joelhos o cotovelo, a cara... eu ralo o meu coração. E por mais que eu não saiba jogar... eu sempre jogo.
Por que há sempre a chance de eu ganhar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário